sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Como criar um herói de cinema


Rede Globo e Record entraram em uma briga de cachorro grande; e essa briga vai feder mais do que pau de galinheiro de granja. Tudo o que eu ia escrever o Felipe Neto já escrever, e como eu detesto o estilo “mais do mesmo” vou mudar esse post.
Quem gosta de filme já deve ter percebido que o mocinho da história é sempre aquele mais improvável, que acaba surpreendendo todo mundo, ganhando poderes e por fim salva o mundo e ainda fica com a mocinha.


Não é a toa que todo filme (sem exceção) isso acontece, Agora poucas pessoas sabem por quê. Joseph Campbell em O herói de mil faces percebeu que em todas as histórias há um herói e é claro que certamente a narrativa gira em torno de suas peripécias. Observando isso, Campbell desenvolveu uma estrutura de eventos que demonstra que o herói passa por doze etapas que servem tanto para se criar um herói no cinema, quanto nos livros.

Mundo comum – O ambiente em que o herói está situado, o seu dia-a-dia. Pode ser uma sociedade ou uma situação. A vida cotidiana é mostrada antes que ele parta para sua jornada, que será um local novo.
Chamado à aventura – O personagem é posto em xeque quando precisa decidir se enfrenta ou não o desafio que lhe é apresentado. Pode ser algo relacionado à sua vida particular, família, saúde ou trabalho. Este chamado dá o tom da saga e o destino do herói. Em geral, apresenta-se como uma tarefa de grandes proporções.
Recusa ao Chamado – Sair do ambiente seguro não é uma opção aceita com tranqüilidade pelo herói, por isso ele precisa que haja uma força exterior que o guie para que ele prossiga com sua missão, alguém q lhe dê coragem e incentivo para prosseguir.
Encontro com o mentor – O mentor é representado por alguém que possui certa experiência de vida, aquele que vai dar conselhos e guiar o herói. O mentor dará suporte com ferramentas que serão necessárias durante a história. Não lhe dá somente objetos, mas conselhos e informações.
Travessia do primeiro limiar – É o momento em que o herói se convence que tem que cumprir a sua missão. Deixa seu mundo e se aventura no desconhecido.
Testes, aliados e inimigos – Eles aparecem no momento em que o personagem decide sair em busca da sua bem-aventurança. Aparecem por toda a história, a ajudar ou atrapalhar.
Aproximação da caverna oculta – O herói entra em território inimigo, terra desconhecida
Provação suprema – Primeiro encontro do herói com a morte, ele passa por um grande perigo, e pode chegar a um estado de quase morte. É o primeiro embate com o antagonista.
Recompensa – Ao vencer a morte, o herói recebe uma recompensa por sua coragem e determinação. Obtém seu tesouro, aquilo que é o seu objeto de busca. A partir desse momento, passa a compreender melhor o mundo, depois de acumular mais experiência de vida.
Caminho de volta – É quando a missão proposta no início foi completada, e agora o herói começa o retorno a sua terra natal.
Ressurreição – A vingança daqueles a quem abateu. A última prova que o herói é obrigado a passar, apenas para ter certeza de que ele aprendeu as lições da Provação Suprema. Esse é o momento do herói escolher se volta para o mundo comum ou permanece no que recentemente adentrou. Esse é o terceiro ato da história e consequentemente o terceiro limiar.
Retorno com Elixir – O personagem deve levar o Elixir, ou seja, o aprendizado do mundo especial. Ele obteve conselhos de seu mentor, enfrentou situações difíceis, e está pronto para desfrutar de seu sucesso, seja exibindo seu “troféu", provando algo a uma sociedade descrente ou ainda sentir-se em paz consigo e com sua consciência.

Achou isso parecido com algum livro ou filme que você já assistiu ou leu? Pois bem, os arquétipos sempre são os mesmos, só se muda a roupagem. Essa história tem sido contada por vários anos sob diferentes “modelos”.
Agora você sabe, que aquela sensação de “eu já vi esse filme em algum lugar” realmente pode ser levada ao pé da letra.


Em tempo: Eu plagiei um trecho do meu próprio TCC.
UPDATE: Créditos para Thaís Helena Areas Crispim também... hahahaha tá bom assim :)

2 comentários:

Thaís disse...

Hum...sorry, mas cadê os créditos??? Eu quero royalties....

Thais disse...

Não precisava tanto...rs.....só "a maluca da minha amiga" já tava bom..rs....

Search this Blog